Voltar

Cases

Avon Linha 180

Contexto

Embora muitos avanços tenham sido alcançados com a sanção da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), o Brasil contabiliza, ainda, uma média de 4,4 assassinatos a cada 100 mil mulheres, número que o coloca em 7º lugar no ranking global de países nesse tipo de crime. Os dados são alarmantes: pesquisa realizada pelo Instituto Avon em parceria com o Instituto Data Popular (2014) revelou que 3 em cada 5 brasileiras jovens já sofreram violência em relacionamentos.

Já o balanço das denúncias realizadas por meio da Linha telefônica 180, também de 2014, mostra que 77% das mulheres que relatam viver em situação de violência sofrem agressões semanais ou diárias. Em mais de 80% dos casos, a violência foi cometida por homens com quem as vítimas têm ou tiveram algum vínculo afetivo: atuais ou ex-companheiros, cônjuges, namorados ou amantes.

Cenário

Líder mundial no mercado de beleza e há quase 60 anos em atuação no Brasil, a Avon é uma empresa voltada para as mulheres. Pioneira na venda direta de cosméticos tem no país sua mais representativa força de vendas, com 1,5 milhão de revendedoras, a maior operação do mundo, responsável por 40% das vendas na América Latina.

No Brasil, o Instituto Avon é uma organização não governamental (ligada à Avon Foundation) que, desde 2003, coordena as ações de investimento social da empresa no país, com direcionamento especial para ações de combate ao câncer de mama e à violência doméstica.

Em março de 2015, mês da mulher, o Instituto Avon lançou a Campanha Linha 180 – Seu Brilho Natural de Volta. A campanha teve como peça central a apresentação de uma linha de maquiagem invisível, que não esconde as marcas de violência. Os produtos distribuídos em frascos vazios serviram de pretexto para falar sobre a violência contra a mulher no Brasil, e sempre indicar o uso da linha de telefone 180 para denunciar essas situações. Em 2014, a central 180, criada pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), transformou-se em disque-denúncia, com capacidade de envio de denúncias para a Segurança Pública com cópia para o Ministério Público de cada estado.

Objetivos

O objetivo da campanha foi conscientizar a população a respeito do problema da violência doméstica no país, além de incentivar as vítimas a denunciarem seus agressores por meio da central 180. Com isso, a Avon reforçou seu posicionamento de protagonista no cenário de valorização feminina, promovendo o acesso a informações sobre saúde e segurança física da mulher, além de proporcionar a elas autonomia financeira e fortalecimento através da revenda de cosméticos.

Ações

A FSB Comunicação foi responsável pela divulgação do evento e da campanha na imprensa. Entre as principais atribuições da FSB – antes e depois da realização do evento -, destacaram-se a realização de um planejamento estratégico de comunicação para a divulgação do evento e da campanha, apuração, redação e atualização de todos os materiais de divulgação; convite aos jornalistas e parceiros; análise e recortes regionais para divulgação nacional e acompanhamento de entrevistas.

A campanha contemplou um vídeo documentário, que narra a história de três revendedoras Avon que vivenciaram situações de violência e conseguiram sair vitoriosas graças ao conhecimento da causa proporcionado pela companhia. Contou também com um folheto informativo sobre enfretamento da violência doméstica, com informações de como vítimas desse tipo de violência devem agir e a quem devem recorrer (central 180).

Cerca de 50 revendedoras de Fortaleza e 10 funcionários do centro de distribuição da Avon em Maracanaú, região metropolitana, foram capacitadas para disseminar informações sobre o enfrentamento da violência doméstica entre suas clientes e rede de convivência.

Em março de 2015, foi realizado o “Workshop Internacional Violência contra a Mulher”, por meio de uma parceria entre o Instituto Avon e a Vital Voices, ONG norte-americana de diretos humanos. O encontro reuniu 50 operadores de direito brasileiros entre juízes, promotores, advogados, policiais e representantes de órgãos governamentais e não governamentais de diversas partes do país.

A Comunicação da campanha Linha 180 foi anunciada em evento realizado na Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), no dia 5 de março, com o gancho da celebração do mês das mulheres. Na ocasião, também foi lançado o portal Central Mulheres (www.centralmulheres.com.br), plataforma digital que funciona como um acervo de informações estatísticas sobre os principais desafios, conflitos e dilemas da mulher nos dias atuais.

Desafios

  • Conscientizar a população e incentivar as vítimas a denunciarem seus agressores
  • Divulgar a campanha na imprensa
  • Apuração, redação e atualização de todos os materiais de divulgação
  • Desenvolvimento de ações com foco em jornalistas e parceiros

Resultados

  • Inspirou debates sobre a violência de gênero, machismo e empoderamento feminino
  • Matéria destaque na Folha de S. Paulo contextualizando a situação da violência doméstica no país, citando os motivos pelos quais o Instituto Avon pensou a campanha
  • Outras 134 publicações entre fevereiro e março: 15 na mídia impressa e 119 na web
Compartilhe