Voltar

Notícias

Bolsonaro lidera ranking de influência nas redes, mas no conjunto o predomínio é do PT

Pré-candidato à Presidência da República, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi o parlamentar federal brasileiro mais influente nas redes sociais no ano passado. É o que revela a edição especial 2017 do FSBinfluênciaCongresso, índice exclusivo produzido pela FSB Comunicação. O pódio é dominado por deputados federais. Logo após Bolsonaro, vêm Paulo Pimenta (PT-RS) e Marco Feliciano (PSC-SP), respectivamente os 2º e 3º mais influentes. Senador mais bem colocado, Lindbergh Farias (PT-RJ) aparece em quarto no ranking geral do Congresso.

Dos 10 parlamentares mais influentes nas redes em 2017, há sete deputados federais e três senadores. Seis são do PT. Além de Pimenta e Lindbergh, figuram Décio Lima (PT-SC), em 5º; Marco Maia (PT-RS), em 7º; Gleisi Hoffmann (PT-PR), em 9º; e Humberto Costa (PT-PE), em 10º. Dois são do PSC (Bolsonaro e Feliciano). O top 10 é completado por Jandira Feghali (PCdoBRJ), em 6º; e Delegado Francischini (SD-PR), em 8º.

No período analisado, que vai de 2 de fevereiro, quando começou o primeiro semestre legislativo do ano passado, a 31 de dezembro de 2017, o líder Bolsonaro publicou 709 postagens no Facebook (onde tem 4,9 milhões de seguidores) e 973 no Twitter (com 834,7 mil seguidores). Com isso, recebeu nas duas plataformas, em números absolutos, um total de 21,47 milhões interações (incluindo curtidas, comentários e compartilhamentos). Significa dizer que 11% de todas as interações recebidas nos perfis dos parlamentares se deram nas redes do presidenciável. Para se ter uma ideia, é quase o dobro do número absoluto de interações que o deputado Marco Feliciano, o segundo mais influente, atingiu nas duas redes sociais no mesmo período (11,45 milhões, ou 6,2% do total do Congresso).

Outro dado que chama a atenção é a grande concentração no total de interações. Em média, 7 em cada 10 interações foram registradas no conjunto das páginas dos 20 parlamentares mais influentes nas redes. Dos 606 parlamentares monitorados (594 em exercício e 12 suplentes), apenas 28 receberam em seus perfis mais de 1 milhão de interações ao longo do ano.

Ranking Congresso Nacional
Veja abaixo o ranking de desempenho de todos os parlamentares monitorados no ano de 2017 (além de titulares, a lista inclui suplentes que já exerceram parte do mandato; o código NP indica que o parlamentar não pontuou no respectivo mês):

tabela_01

Ranking Câmara dos Deputados
Veja abaixo o ranking de desempenho de todos os deputados federais monitorados em 2017(além de titulares, a lista inclui suplentes que já exerceram parte do mandato; o código NP indica que o deputado não pontuou no mês):

tabela_02

Ranking Senado Federal
Veja abaixo o ranking de desempenho de todos os senadores monitorados em 2017 (além de titulares, a lista inclui suplentes que já exerceram parte do mandato; o código NP indica que o senador não pontuou no mês):

tabela_03

Ranking Partidos
Quando se olha para o desempenho das bancadas partidárias, ao longo de 2017 o PT lidera o ranking com folga. Dono da segunda maior bancada do Congresso (com 57 deputados e 9 senadores em exercício, além de dois suplentes monitorados), o Partido dos Trabalhadores foi o que mais influenciou nas redes sociais ao longo do ano.

Impulsionado pelos deputados Jair Bolsonaro e Marco Feliciano, o PSC ficou em 2º lugar no ranking partidário. Vale notar, no entanto, que o partido tem uma bancada bem menor, com apenas 11 deputados e um senador. Entre os partidos, o pódio é completado pelo Solidariedade (14 deputados e nenhum senador).

Dono da maior bancada do Congresso, com 89 parlamentares (61 deputados e 20 senadores em exercício, além de 8 suplentes monitorados), o MDB é apenas o 8º partido mais influente nas redes. Outra legenda de grande porte, o PSDB (a terceira maior bancada, com 47 deputados e 11 senadores, além de um suplente monitorado) ficou em 6º lugar no ano.

Abaixo, o ranking partidário de 2017, segundo o FSBinfluênciaCongresso:

tabela_04

Regional
Por Unidade da Federação, a bancada do Estado do Rio de Janeiro, que é a 3ª maior do Congresso, foi a que mais influenciou nas redes sociais, superando o conjunto de parlamentares do Estado de São Paulo (maior bancada da Casa) e do Rio Grande do Sul, que é apenas a 5ª maior em número de parlamentares. Chama a atenção o desempenho da bancada de Minas Gerais, que embora seja a 2ª maior do Congresso, ocupa apenas a 8ª posição no ranking de influência.

tabela_05

Números de 2017
Ao longo do ano de 2017, os deputados federais e senadores presentes nas redes sociais (Facebook e/ou Twitter) postaram um total de 549 mil conteúdos. O Facebook foi a plataforma utilizada para 56% dessas postagens, contra 44% do Twitter.

Juntas, essas publicações renderam aos parlamentares 185.005.085 interações, somadas as curtidas, comentários e compartilhamentos no Facebook e as curtidas e retuítes no Twitter. Do total de interações, 94,5% se deram no Facebook e apenas 5,5% no Twitter.

Somadas as interações de todos os seus parlamentares, o PT também foi o partido que mais engajou em números absolutos. Foram 58.239.946 de interações no Facebook e no Twitter, o equivalente a 31,5% do total. O segundo partido com mais interações no ano passado foi o PSC, com 42.080.094, ou 22,7% do total.

Juntos, os parlamentares do PT e do PSC reuniram 54,2% do total de interações recebidas pelos perfis de todos os deputados e senadores. Para se ter uma ideia do predomínio das duas bancadas, o terceiro partido que mais engajou nas redes tanto em número absoluto quanto na métrica de influência, o Solidariedade, concentrou apenas 7,9% do total de interações nas páginas dos congressistas.

Metodologia
O FSBinfluênciaCongresso – especial 2017 monitorou as publicações dos deputados federais e senadores de 2 de fevereiro a 31 de dezembro de 2017. Foram contabilizadas publicações no Facebook e no Twitter. Para se calcular a nota de cada parlamentar e construir o ranking, são levados em consideração o número de seguidores, a quantidade de publicações, o alcance das publicações e o engajamento (curtidas, comentários e compartilhamentos). São aplicados pesos diferentes a cada item, assim como para cada uma das duas redes sociais.

Mais informações
Fernando Teixeirense (fernando.teixeirense@fsb.com.br)
Marcelo Tokarski (marcelo.tokarski@fsb.com.br)
WhatsApp: (61) 99243-9205

Compartilhe