Voltar

Cases

Outubro Rosa

Contexto

O câncer de mama é provavelmente o mais temido pelas mulheres, por conta da sua alta frequência e pelos seus efeitos psicológicos, que afetam a percepção da sexualidade e da própria imagem pessoal. No mês de conscientização mundial do câncer de mama – Outubro Rosa, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro promoveu diversas ações. Para isso, contou com importantes parcerias, tendo como critério a mobilização de público: Consórcio Maracanã, MetrôRio, Supervia, Arquidiocese do Rio de Janeiro e times de futebol brasileiros.

A FSB desenvolveu material de divulgação a fim de gerar mídia espontânea, e promoveu iniciativas de conscientização diretamente com o público. Entre as estratégias de comunicação, associou-se a saúde ao esporte, usando valores alusivos, como vitalidade, determinação e companheirismo. A campanha Outubro Rosa nasceu em 1990, nos Estados Unidos. No entanto, já atravessou fronteiras com o objetivo de conscientizar a população, especialmente as mulheres, em vários países, sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

Cenário

O câncer de mama é o tipo menos comum antes dos 35 anos, mas a incidência cresce progressivamente a partir dessa idade. O Ministério da Saúde recomenda como principal estratégia de rastreamento populacional a realização de exame de mamografia a cada dois anos para mulheres de 50 a 69 anos.  De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer – INCA – em 2014, a estimativa era de 57.120 casos novos de câncer de mama, com um risco de 56,09 casos a cada 100 mil mulheres. No estado do Rio de Janeiro, a estimativa era de 8.380 novos casos. Só na capital, Rio de Janeiro, eram mais 4 mil novos casos. A doença é a que mais acomete mulheres no Brasil, onde são registradas cerca de 13 mil mortes por ano.

Para detectar o câncer de forma precoce, a Secretaria de Estado de Saúde ampliou a faixa etária recomendada para a realização de mamografias, incentivando o exame bienal entre 40 e 49 anos e anualmente depois dos 50 anos; 10 anos a menos da idade sugerida pelo Ministério da Saúde. Para mulheres com histórico familiar de câncer, a recomendação é que esse grupo receba acompanhamento médico e faça mamografia anualmente a partir dos 35 anos.

Objetivos

Informação e prevenção são os grandes aliados contra o câncer de mama. Neste intuito, a comunicação da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES RJ) criou ações de divulgação e sensibilização diretamente com a sociedade.  A SES RJ enxergou nos lugares de grande circulação ambientes favoráveis para atingir e informar a população.  A campanha foi motivada pela ampliação do acesso da população aos exames disponibilizados na rede estadual através do Centro de Diagnóstico por Imagem – Rio Imagem – e da unidade móvel de mamografia.

 Desafios

  • Aproximar a Secretaria de Estado de Saúde da população
  • Melhorar a reputação da Secretaria de Estado de Saúde na mídia

Ações 

Inauguração da carreta do Mamógrafo Móvel

Dispondo hoje de nove equipamentos de mamografia, a Secretaria de Estado de Saúde contabiliza a realização de 58 mil exames em 2014. O serviço foi ampliado, em 2014, com a inauguração da carreta do Mamógrafo Móvel, que circula pelos 92 municípios garantindo que as pacientes tenham acesso ao exame perto de suas casas, o que já resultou em mais de 18 mil exames.

Iluminação de pontos turísticos e hospitais

Para lembrar da importância do combate à doença, os prédios do Rio Imagem, dos Hospitais Estaduais da Mulher (São João de Meriti), da Mãe (Mesquita) e dos Lagos (Saquarema) foram iluminados de cor de rosa ao longo de todo o mês.

A Ponte em Arco do MetrôRio também ganhou iluminação rosa. Nos dias 04, 08 e 09 de outubro, foi a vez do Maracanã se colorir pela campanha. Antes das partidas pelo Campeonato Brasileiro de Futebol, uma faixa no campo e os telões do estádio trouxeram mensagens chamando atenção para o tema.

No dia 10, foi a vez do Cristo Redentor receber a iluminação rosa, também como parte da celebração dos 83 anos da estátua-símbolo do Rio de Janeiro.

Distribuição de material da campanha

No dia 22, a Central do Brasil foi palco para mais uma mobilização contra o câncer de mama. Houve a distribuição de mais de 500 fitas rosas, distribuição de camisas e exposição da faixa da campanha no hall principal da maior estação de trem do Rio de Janeiro.

Resultados

As ações de comunicação obtiveram a visibilidade desejada, uma vez que os veículos de imprensa fizeram uma forte divulgação da campanha promovida. Esta análise foi mensurada a partir do levantamento de informações produzidas pela Secretaria de Estado de Saúde, por meio do trabalho da equipe de atendimento à imprensa, redação e comunicação institucional.

Tomando-se como exemplo apenas o Rio Imagem, Centro de Diagnóstico do Governo do Estado que fica no Centro da capital, nos anos 2012, 2013 e 2014 (até agosto), 26% das mulheres agendadas para realizar mamografia não compareceram ao exame.

Após a campanha Outubro Rosa, houve uma mudança significativa: aumento de 10% na procura pela realização do exame e também no número de mulheres que foram buscar o resultado diagnóstico.

Compartilhe