Estudo do Instituto FSB Pesquisa mostra que jornalistas apóiam constituinte em 2011 para reforma política

A ideia de uma assembleia constituinte voltada exclusivamente à reforma política tem apoio da maioria dos jornalistas brasileiros. É o que indica a sexta edição do Barômetro de Imprensa, sondagem online realizada bimestralmente pelo Instituto FSB Pesquisa com profissionais de jornalismo de todo o país. Nada menos que dois terços (67%) dos 510 profissionais de imprensa consultados disseram-se favoráveis à realização de uma assembléia constituinte em 2011 para promoção da reforma política. No entanto, não há consenso sobre qual reforma é a mais urgente: nas respostas, aparecem praticamente empatadas a reforma tributária (42%) e a política (39%).

Em outra questão, os jornalistas deram sinais de otimismo: para 69%, no Brasil, a pior fase da crise econômica mundial já passou. Segundo o diretor do Instituto FSB, Wladimir Gramacho, houve uma reversão na avaliação dos jornalistas sobre a conjuntura econômica. “Na edição de abril, 59% dos entrevistados acreditavam que os piores efeitos da crise econômica sobre o Brasil ainda estavam por vir. Essa porcentagem caiu a apenas 20%, o que mostra uma reversão muito importante”, diz Gramacho.

A percepção otimista é acompanhada por uma avaliação positiva das medidas do governo federal para enfrentar as dificuldades econômicas. O modo como o governo Lula tem reagido à crise recebeu aprovação de 63% dos entrevistados, e 30% deles manifestaram desaprovação. A avaliação do desempenho do governo Lula, porém, pouco oscilou entre as pesquisas de abril e junho. Em ambos os casos, pouco mais de 50% dos entrevistados consideram-no ótimo ou bom.

A pesquisa indagou também aos jornalistas que nota, de 0 a 10, atribuiriam ao funcionamento da Câmara dos Deputados. A nota média computada a partir das 510 respostas foi 2,7. A mesma pergunta foi feita em relação ao Senado, e a nota média também foi 2,7. A fim de permitir uma comparação entre instituições, foi pedido aos entrevistados que atribuíssem também notas de 0 a 10 ao funcionamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Nesse caso, a nota média ficou em 4,5.

Em outra pergunta referente à Câmara, confirma-se o mau momento da imagem dos parlamentares: 48% dos entrevistados disseram que não pretendem repetir em 2010 o voto dado em 2006 para candidato a deputado federal (admitindo-se que o mesmo político concorrerá novamente à Câmara). Quase 6% dos jornalistas consultados não lembram em quem votaram para o cargo em 2006.

O Barômetro de Imprensa é uma pesquisa feita com jornalistas de todo o país, cujos endereços eletrônicos estão cadastrados no Maxpress. Ao todo, são 37.772 profissionais cadastrados, distribuídos assim: veículos impressos (56,7%), TV (15,9%), rádio (15,5%) e on line (11,8%). Foram entrevistados 510 jornalistas nesta edição, assim distribuídos: 249 de meios impressos, 132 de veículos online, 75 de TV e 54 de rádio.